Vietnã: introdução e dicas de viagem

Vietnã: introdução e dicas de viagem

O Vietnã era um dos países que eu estava mais ansiosa para conhecer, porque o que mais se sabe dele são as coisas ruins, não é mesmo? Guerra, destruição, vietcongues, pobreza, país socialista e fechado, e mais um monte de estereótipos negativos. E se tem uma coisa que eu gosto é conferir por mim mesma se a imagem que se tem dos lugares é correta ou se é completamente distorcida. Afinal, viajar e ver a realidade dos outros países, cidades, culturas e religiões com seus próprios olhos é o maior aprendizado que existe!

No Vietnã, então, o que aprendi foi que, por mais que tenha passado por tempos muito difíceis, seu povo é forte o suficiente para se recuperar e reconstruir um país ainda melhor, que é simplesmente encantador, único, diferente de todos os outros, com uma culinária deliciosa e lugares lindos a se conhecer. Praias, montanhas, plantações de arroz, falésias no mar, mercados flutuantes, cidades caóticas, quantidade de motocicletas como você nunca viu antes, comidas de rua, café com leite condensado, churrasquinhos e muuuuitas outras coisas incríveis que vimos nesse país fascinante e que vou mostrar neste e nos próximos posts.

Bandeira nacional
Bandeira nacional

O Vietnã fez parte da nossa viagem de 7 meses, entre 2014 e 2015. Nosso roteiro nessa região havia sido: pegamos um ônibus em Nanning, na China, e fomos até a fronteira com o Vietnã. Lá, trocamos de ônibus e fomos até Hanoi. Em Hanoi, fizemos o passeio de barco de 3 dias/2 noites para Halong Bay e Cat Ba Island. Voltamos a Hanoi e de lá pegamos um voo (o quarto e último voo durante toda a viagem) para Ho Chi Minh City. E de lá, pegamos um ônibus para Phnom Penh, no Camboja.

Screen Shot 2017-01-27 at 09.53.42

Screen Shot 2017-01-15 at 09.39.04

No Sudeste Asiático, fazendo fronteira com a China ao norte, e com Laos e Camboja a leste. Seu litoral, com mais de 3400km, é banhado pelo Mar da China Meridional, e o comprimento total (norte a sul) é de mais de 1600km. A largura, contudo, varia de 50km no centro do país até 600km no norte. O Vietnã também é considerado parte da Indochina, região que sofreu influências dos indianos e chineses devido à sua localização geográfica.

Screen Shot 2017-01-27 at 10.20.56

Screen Shot 2017-01-15 at 09.40.48

Com mais de 90 milhões de habitantes, o Vietnã é o terceiro país mais populoso do Sudeste Asiático (atrás apenas da Indonésia e das Filipinas) e o 14º mais populoso do mundo! O maior grupo étnico do país é o vietnamita ou kinh, que corresponde a 86% da população. Além dos kihn, o Vietnã possui outros 54 grupos étnicos, sendo alguns deles: thai (da Tailândia), hmong (segundo maior grupo étnico do país – vieram do sul da China e norte do Vietnã e Laos), yao (sul da China), tay (norte do Vietnã), khmers (Camboja), e nùng (norte do Vietnã).

Sapa (32)
Mulheres da etnia hmong

Durante grande parte de sua história (cerca de um milênio!), o Vietnã pertenceu à China, tendo conquistado a independência apenas em 938 e ganhado o nome de Grande Viet. As dinastias vietnamitas tiveram seu auge no século 15, quando conquistaram territórios do sul e parte do Império Khmer (Camboja). A partir do século 16, inúmeros conflitos civis tomaram conta do país, que foi dividido em norte e sul em mais de uma ocasião, mas unificado novamente no século 18.

No século 19, contudo, o Vietnã já estava quase que completamente sob domínio da França, a qual já possuía territórios no Camboja. Em 1887, após perder ainda mais conflitos militares, o Vietnã foi oficialmente integrado à Indochina Francesa, permanecendo assim até a Segunda Guerra Mundial, quando foi invadido pelo Japão.

Após muitos conflitos entre França, Japão, Vietnã do Norte e do Sul, os japoneses foram derrotados e a Indochina Francesa foi dissolvida na Conferência de Genebra de 1954. Com isso, foram formados dois estados: a República Democrática do Vietnã (norte), liderada por Ho Chi Minh, e o Estado do Vietnã (sul), governado pelo imperador Bao Dai.

Agora, o fato mais conhecido sobre a história do país: a Guerra do Vietnã, entre o norte comunista apoiado pela União Soviética e o sul capitalista apoiado pelos Estados Unidos. O norte queria unificar o sul e instalar o socialismo como forma de governo em todo o país, o que os Estados Unidos quiseram combater, enviando milhares de soldados para lutar contra os vietcongues (guerrilheiros comunistas).

A guerra durou 20 anos, de 1955 a 1975, e deixou 58 mil soldados americanos mortos, contra 2 milhões de vietnamitas. A guerra apenas chegou ao fim quando os Estados Unidos, após perderem apoio popular (muitos protestos acontecendo – lembra do slogan “make love, not war”/“faça amor, não faça guerra”?) e passarem por inúmeras derrotas (mesmo com toda a tecnologia, ainda não conseguiam superar a experiência dos vietcongues), finalmente assinaram o cessar-fogo em 1973 e completaram a retirada total de suas tropas dois anos depois.

Como resultado, a guerra deixou milhões de mortos, mutilados e feridos, destruiu campos, plantações e moradias, e gerou uma grave crise econômica no Vietnã. Um ano após o fim da guerra, em 1976, o país foi unificado sob o regime socialista, com Hanoi sendo a capital. Saigon, a antiga capital do sul, teve seu nome alterado para Ho Chi Minh City, em homenagem ao líder Ho Chi Minh, considerado um herói pela população.

O edifício ao fundo é o mausoléu de Ho Chi Minh, em Hanoi
O edifício ao fundo é o mausoléu de Ho Chi Minh, em Hanoi

Depois de 1976, ainda houveram muitos outros conflitos – como eu falei no post sobre o Camboja, o Vietnã invadiu o país no fim da década de 70 para combater o Khmer Vermelho, permanecendo lá até 1989 -, mas hoje a situação está estabilizada e o Vietnã apresenta um bom crescimento econômico, fazendo parte da OMC, UN, APEC e ASEAN. É um dos cinco países socialistas do mundo com um único partido, juntamente da China, Coreia do Norte, Cuba e Laos.

Screen Shot 2017-01-15 at 09.41.43

Diferente dos demais países do Sudeste Asiático, o Vietnã não é um país muito religioso. Na Tailândia, Camboja, Mianmar e Laos, o budismo é a religião mais praticada; na Malásia, Indonésia e Brunei, o islamismo é a mais predominante; e nas Filipinas e Timor-Leste, a maior parte da população é católica. Já no Vietnã, apesar de grande parte das pessoas se identificarem com o budismo, não chegam a ser praticantes. Além disso, a população segue religiões indígenas (práticas e cultos de seus ancestrais) que são classificadas dentro do taoísmo e do confucionismo (religiões chinesas) e também do cao dai (religião vietnamita que combina elementos de várias outras doutrinas). O cristianismo, que foi trazido por comerciantes portugueses, holandeses e depois pelos colonizadores franceses, é praticado por cerca de 8% da população.

Templo confucionista em Hanoi
Templo confucionista em Hanoi

Screen Shot 2017-01-15 at 09.41.55

O único idioma oficial do país é o vietnamita, que é “parente” do khmer (cambojano). É uma língua tonal, assim como o chinês, mas enquanto o mandarim padrão possui 4 tons, o vietnamita possui 6! O alfabeto utilizado já foi os caracteres chineses, mas desde o século 17 adotou-se o alfabeto vietnamita romanizado, quoc ngu, que consiste nas mesmas letras que nós usamos, mas com muitos acentos, inclusive um acento em cima do outro!

IMG_8065

Como língua estrangeira, o francês é falado por muitos vietnamitas, por conta da época em que estiveram sob o domínio da França. Ultimamente, no entanto, o inglês vem substituindo o francês, e, nas escolas, seu ensino é obrigatório. O nível de inglês das pessoas não é o melhor do mundo, mas é possível se virar tranquilamente! 😉

Screen Shot 2017-01-15 at 09.39.26

O Vietnã possui 11 aeroportos internacionais, sendo os maiores o de Hanoi e o de Ho Chi Minh City. Vindo do Brasil, é preciso fazer uma ou duas conexões: a primeira nos Estados Unidos, Europa ou Oriente Médio, e a segunda, se tiver, na Ásia.

Acredito que a maioria dos turistas não vai apenas ao Vietnã, mas acaba emendando com outros países do Sudeste Asiático, como Camboja e Tailândia, principalmente. Por isso, se esse for o seu caso e precisar pegar voos locais, minha sugestão é conferir as companhias aéreas low cost: Air Asia, VietJet Air e Jetstar.

Aeroporto de Hanoi
Aeroporto de Hanoi

Por terra, é possível entrar no Vietnã pela China, Laos ou Camboja. Nós entramos pela China e saímos pelo Camboja, e as duas fronteiras foram tranquilas! O maior porém de entrar no Vietnã por terra é o visto

Para quem entra no país de avião, os principais aeroportos internacionais têm o serviço de Visa On Arrival. Nesse caso, você precisa antes conseguir uma Letter of Approval (carta de aprovação) através de uma agência online. No aeroporto você deverá entregar essa carta, pagar US$25 em dinheiro (e troco certo) e o visto será impresso e colado no seu passaporte na hora. Se você quiser o visto de múltiplas entradas, o valor sobe para US$50. Outra opção é fazer o visto ainda no Brasil, por meio da embaixada do Vietnã que fica em Brasília (é possível fazer todo o processo por e-mail, não é necessário ir até Brasília…).

Já por terra, a opção de visa on arrival não existe. O jeito então é ir a uma embaixada do Vietnã no país em que você está (China, Laos ou Camboja) e fazer o visto diretamente lá. Ou pagar para fazerem por você, em uma agência ou no próprio hotel/hostel.

Nós vimos que o hostel em que estávamos hospedados em Nanning (China) oferecia o serviço de visto para o Vietnã, e não pensamos duas vezes! Deixamos o passaporte com eles, e, apenas um dia depois, o visto estava pronto! Não lembro quanto nós pagamos a mais por esse serviço… não deve ter sido muito barato, mas foi facílimo!

Para ir da China a Hanoi, nós pegamos um ônibus em Nanning, que foi até a fronteira. Lá, nós descemos do ônibus e um carrinho estranho nós levou até a imigração. Depois de passar pela imigração, esse mesmo carrinho nos levou até um outro ônibus, já no lado vietnamita, que foi até Hanoi. A viagem total demorou por volta de 8 horas.

Fronteira China - Vietnam (1)

Fronteira China - Vietnam (2)
Fronteira China – Vietnã

Screen Shot 2017-01-15 at 09.40.06

De ônibus, trem ou avião, todas são boas opções e de baixo custo. Contudo, como o país é comprido (ao todo tem mais de 1600km de norte a sul), as distâncias são muito longas! De Hanoi a Hoi An são 800km, e de Hoi An a Ho Chi Minh City (HCMC, vamos abreviar que é mais fácil!) são 850km!

Tanto de trem como de ônibus, para ir de Hanoi a Hoi An, e de Hoi An a HCMC, é preciso viajar a noite inteira e mais a manhã do outro dia. As passagens são baratas e os trens/ônibus são confortáveis, mas quase sempre compensa muito mais ir de avião. Com as companhias low cost VietJet Air e Jetstar, uma passagem aérea de Hanoi a HCMC pode custar menos de 20 dólares em promoção, e o preço padrão é US$45. De Hanoi a Hoi An, a passagem de avião pela VietJet Air custa entre 12 e 25 dólares, mas com promoções os preços podem chegar a até US$2 por passagem! :O

Minha recomendação, portanto, é: assim que comprar as passagens para o Vietnã, defina seu roteiro e compre as passagens de avião para as distâncias longas! Quanto maior a antecedência, mais chances de você pegar promoções imperdíveis!

IMG_8108

Screen Shot 2017-01-15 at 09.42.06

A moeda do Vietnã é o dong, que é muitíssimo desvalorizado, o que faz com que o Vietnã seja uma país estupidamente barato! 1 dólar equivale a mais ou menos 23000 dongs!

Sapa[Hotel] (14)
Evandro milionário!
Quanto aos custos, uma viagem de trem de 8h (Hanoi a Sapa, por exemplo) custa por volta de 12 dólares (soft sleeper). Hanoi a Hoi An de ônibus custa cerca de 17 dólares. Hospedagem: cama em dormitórios custa a partir de 5 dólares com café da manhã incluso. Os preços de quartos privados (com banheiro) começam em 10 dólares, e, com menos de 100 dólares é possível se hospedar em hotéis 5 estrelas. Refeições começam em 1 dólar, e cerveja custa a partir de US$0.50.

Screen Shot 2017-01-15 at 09.42.17

Como o território se extende muito de norte a sul, o clima varia bastante nas diferentes regiões do país. Enquanto no sul a temperatura varia somente entre 21 e 28°C; no norte ela pode variar de 5°C nos meses de inverno (dezembro e janeiro, principalmente) a até 37°C no verão (julho e agosto)! Por causa disso, se você pretende visitar tanto o norte (Hanoi), quanto o litoral (Hoi An) e o sul (HCMC), é difícil escolher uma época que seja perfeita para as três regiões.

No norte, de maio a outubro é quente e chove bastante, enquanto de novembro a abril o tempo é seco e as temperaturas são amenas – lembrando que no pico do inverno pode fazer bastante frio na região próxima à fronteira com a China, como Sapa. No litoral central (Da Nang e Hoi An), entre janeiro e agosto é quente e seco; e setembro, outubro e novembro são os meses mais chuvosos. No sul, de novembro a abril o tempo é mais quente e seco, e de maio a outubro continua quente, mas é mais úmido (os meses com maior ocorrência de chuvas são junho, julho e agosto).

A época mais indicada para visitar todo o país seria, então, de fevereiro a abril, pois não é mais tão frio no norte e o índice de chuvas é menor em todo o território. Nós fomos no fim de janeiro, e estava entre 15 e 20°C em Hanoi e Halong Bay, e mais de 25°C em HCMC.

Ventinho gelado em Halong Bay
Ventinho gelado em Halong Bay
Calor em HCMC
Calor em HCMC

Screen Shot 2017-01-15 at 09.40.22

A culinária vietnamita é considerada uma das mais saudáveis do mundo, por usar muitas folhas, legumes, verduras, temperos e ervas, e apenas ingredientes frescos! Faz parte da cultura local fazer as compras em feiras e mercados abertos, e não tanto nos mercados ‘tradicionais’ como conhecemos. Assim, a comida é sempre fresca e muito saborosa!

Mulheres vendendo frutas e verduras em Hanoi
Mulheres vendendo frutas e verduras em Hanoi
Barraquinha de smoothie em Ho Chi Minh City
Barraquinha de smoothie em Ho Chi Minh City

Vou listar agora minhas comidas preferidas no Vietnã:

Pho é o prato mais tradicional e popular do país. Trata-se uma sopa com noodles de arroz, carne e ervas, que serve como refeição no café da manhã, almoço e janta!

Sapa (48)

Bun cha consiste em noodles de arroz, folhas e uma sopa com carne assada e verduras. O noodles vem frio, porque a intenção é mergulhá-lo na sopa quente antes de comer. Esse prato é de-li-ci-o-so!

IMG_7881

Churrasquinho: não sei qual é o nome de verdade, mas esse é o apelido que demos a ele, rs. Nas ruas de Hanoi à noite, o que mais se vê são barraquinhas vendendo espetinhos feitos na churrasqueira, e, pasmem, parece muito com os nossos espetinhos! E pra completar, eles são tirados do palito e colocados dentro de um pão francês! Isso mesmo! Tudo bem que o formato não é exatamente igual, mas o gosto é idêntico!! Nós comemos esse pão com churrasquinho apenas umas 167263043 vezes, hahaha. Ah, e a melhor parte: custa entre 15000 a 25000 dongs – US$0.50 e US$1!

Hanoi - Vietnam (18)

Hanoi - Vietnam (19)

Hanoi - Vietnam (1)

Pão com ovo! Pra quem estava com saudades de casa depois de 6 meses na estrada, encontrar churrasquinho no pão francês e pão com ovo foi uma alegria imensa! Hahaha!

Cat Ba Island, Vietnam (12)

Até no aeroporto tinha pão com ovo!
Até no aeroporto tinha pão com ovo!

Café vietnamita, um café que veio diretamente do céu, rs! O café é passado nessas canequinhas, que consistem em três filtros, e, por isso, ele fica hiper concentrado! Demora uns cinco minutos para passar uma xícara, e ele é feito individualmente, cada xícara com sua canequinha. Daí, para compensar o café forte, ao invés de leite, é colocado… prepare-se… adivinha?… leite condensado! Pense numa coisa deliciosa! Hahaha! Pelo menos para os amantes de leite condensado (eu), esse café é divino! Ele é tomado quente ou frio (adiciona-se gelo), e em qualquer momento do dia, até mesmo com as refeições.

Vietnamese Coffee

Versão gelada do café vietnamita
Versão gelada do café vietnamita

Os rolinhos primavera vietnamitas são feitos com uma massinha de arroz tão fina, mas tão fina, que o rolinho fica translúcido! De recheio é colocado apenas vegetais e camarão. Come-se ele cru e frio, e não frito, como estamos acostumados nos restaurantes chineses.

IMG_3841

Além do que citei aqui, há muitos outros pratos deliciosos na culinária vietnamita, e a maioria deles é à base de arroz, ou noodles de arroz, carnes, ervas e vegetais.

Almoco no Mercado Central - Ho Chi Minh Vietnam

Ah! E não esqueça de experimentar as cervejas locais!

Bia Saigon!
Bia Saigon

Screen Shot 2017-01-15 at 10.14.31

Há atrações para todos os gostos: praias, ilhas, montanhas, cidadezinhas históricas, e cidades grandes e agitadas. Listo aqui os principais destinos turísticos do Vietnã, mas há muitos outros.

1. Hanoi é a capital do país, uma cidade caótica, mas ao mesmo tempo fascinante.

IMG_3678

2. Ho Chi Minh City, ou HCMC, era a capital do Vietnã do Sul, e hoje é a maior cidade do país.

Ho Chi Minh - Vietnam (2)

3. Halong Bay é a baía mais famosa do Vietnã e, sem dúvidas, sua beleza natural mais impressionante.

Halong Bay - Vietnam (19)

4. Sapa, a cidade ao norte do país, quase na fronteira com a China, conhecida pelas plantações de arroz nas montanhas.

Sapa[Thang Canh Village] (10)

5. Hoi An, uma cidadezinha na região central do país conhecida por sua decoração com lanternas chinesas e sua arquitetura que mistura elementos asiáticos e europeus.

Foto: Vietnam Guide
Foto: Vietnam Guide

6. Nha Trang é a praia mais ‘badalada’ do Vietnã, com uma ótima infraestrutura para os turistas, vida noturna agitada, muitos esportes aquáticos disponíveis e mar azul turquesa.

Foto: Vietnam Guide
Foto: Vietnam Guide

Screen Shot 2017-01-15 at 10.14.19

Se você quiser conhecer um pouquinho de cada região do país, seu roteiro terá que ser mais ou menos assim:

  • Norte: Sapa, Hanoi e Halong Bay – 5 noites;
  • Centro: Hoi An e Nha Trang – 3 a 4 noites;
  • Sul: Ho Chi Minh City – 2 dias.

Halong Bay - Vietnam (22)

Espero que tenha gostado das informações e dicas e que elas tenham sido úteis! Aproveite para ler sobre Hanoi, Halong Bay e Ho Chi Minh City! E qualquer dúvida, deixe seu comentário!

Comments are closed.