Viagem na Malásia: dicas de Kuala Lumpur

Viagem na Malásia: dicas de Kuala Lumpur

Kuala Lumpur, ou apenas KL para os íntimos, é a capital da Malásia e a maior e mais importante cidade do país, com uma área de 243km2 e população de mais de 1.7 milhões habitantes. Considerando a região metropolitana, esse número sobe para mais de 7 milhões de pessoas, sendo, portanto, uma das maiores aglomerações urbanas do Sudeste Asiático.

Kuala Lumpur não é um destino tão óbvio para turistas quanto Singapura e Bangkok, sendo muito mais uma cidade de negócios do que turística. Contudo, KL tem muito a oferecer a seus visitantes, sejam eles pessoas que estão lá a trabalho ou viajando de férias pela região.

O melhor de Kuala Lumpur, na minha opinião, é sua diversidade e o fato de que lá você pode ter um gostinho de vários outros países asiáticos. Como já expliquei em outro post, a população da Malásia se divide em três principais etnias: os próprios malaios, os chineses e os indianos. Assim, já de cara você entra em contato com a cultura local, além da chinesa e indiana. Fora essas, tem contato também com o Oriente Médio, Filipinas, Indonésia, Vietnã e Tailândia (entre outros), devido à grande quantidade de imigrantes desses lugares. E como os malaios adoram a cultura e culinária japonesa e coreana, de quebra você ainda conhece um pouco do Japão e Coreia do Sul, por meio dos vários restaurantes e lojas com produtos desses países.

20160709_123922

Se não bastasse a diversidade de culturas asiáticas, há muitíssimos imigrantes de outras partes do mundo – europeus, africanos, americanos, australianos -, o que contribui para que seja fácil encontrar culinárias de diversos países. Tanto que até existe churrascaria brasileira! Nunca fui, mas ouvi dizer que é boa! Hehe

IMG_3580
Restaurante de comida malaia

Outra grande vantagem de Kuala Lumpur é que você consegue se virar 100% com o inglês, sem precisar aprender nenhuma palavra sequer em malaio. Claro que sempre ajuda saber o nome de algumas comidas (alguns exemplos: nasi é arroz, goreng é frito, mee é noodles, ayam é frango), mas não há necessidade de fato!

Screen Shot 2017-01-15 at 09.39.04

Mais ou menos no meio do país, do lado oeste. A cerca de 500km da fronteira com a Tailândia e 350km de Singapura, Kuala Lumpur é um dos pontos mas estratégicos não só do Sudeste Asiático, mas da Ásia! E isso se deve principalmente à AirAsia, maior companhia aérea low-cost da região, com voos para todo o continente e por preços muito baixos!

Screen Shot 2017-01-13 at 18.36.43

Screen Shot 2017-01-15 at 09.39.26

Por terra (trem e ônibus), é possível vir de Singapura e da Tailândia, mas a opção mais prática (e às vezes até mais barata) é de avião.

Kuala Lumpur tem dois aeroportos internacionais, o KLIA 1 e o KLIA 2, que ficam do lado um do outro e são conectados por um trem. O KLIA 1 é o principal, de onde vêm os voos de todos os cantos do mundo e de todas as companhia aéreas. O KLIA 2 é mais novo e moderno e é utilizado quase que exclusivamente pela AirAsia (não falei que essa companhia era grande?!). Então, se seu voo for pela AirAsia (seja ele doméstico ou internacional), o aeroporto em que você irá embarcar/desembarcar será o KLIA 2. Para outras companhias aéreas, KLIA 1.

Os aeroportos KLIA 1 e 2 ficam a uma distância de aproximadamente 60km da estação central de Kuala Lumpur, a KL Sentral. Saindo do aeroporto, há 3 opções: táxis (ou uber e afins), KLIA Express, um trem espresso que passa pelos dois aeroportos e vai até KL Sentral (a passagem custa 55RM e leva 28 minutos); e ônibus, que também saem dos dois aeroportos e custam 11RM (uma baita diferença de preço, não?), mas a desvantagem dos ônibus é que eles demoram de 50 minutos a 1h15 (dependendo do trânsito) e não são muito confortáveis para aqueles que estão vindo com bastante bagagem.

A KL Sentral, estação central de Kuala Lumpur, é de onde saem os trens (e alguns ônibus) para outras cidades e até países (Tailândia e Singapura) e onde as linhas de transporte público da cidade se encontram.

Screen Shot 2017-01-15 at 09.39.55

Kuala Lumpur tem várias linhas de transporte público, mas as principais e mais utilizadas pelos turistas são:

1. Monorail, um trem que anda “por cima” da cidade. Sai da KL Sentral e passa por alguns pontos de interesse dos visitantes, como a Chinatown (descer na estação Maharajalela), o shopping Berjaya Times Square (descer na estação Imbi), Bukit Bintang (estação de mesmo nome) e a estação mais próxima das Torres Petronas é a Raja Chulan. O monorail é super demorado e os trens geralmente são pequenos, ficando lotados nos horários de pico.

20160701_072716

2. LRT, a opção mais rápida e prática de se locomover pela cidade. A principal linha é a Kelana Jaya, que passa por KLCC, onde estão as Torres Petronas.

3. KTM, ou Komuter, é o trem que você deverá pegar para ir até as Batu Caves. O KTM demora muito pra vir e está sempre lotado, sendo uma opção que eu sempre evito ao máximo!

O sistema de transporte público de Kuala Lumpur deixa muito a desejar; os trens quase sempre estão lotados e atrasados, os ônibus ficam presos no trânsito, as linhas geralmente não são conectadas, entre outros problemas; mas, para o uso “normal” de turista, ele serve para seu propósito.

20160709_112234

Screen Shot 2017-01-15 at 09.42.17

Qualquer época do ano! É quente o ano inteiro (as temperaturas variam apenas entre 25 e 35°C) e a época mais chuvosa é durante os meses de novembro a março, não que isso afete o turismo, pois geralmente as chuvas são fortes mas duram poucos minutos.

Screen Shot 2017-01-15 at 10.14.31

Basicamente, visitar as Petronas, as Batu Caves, fazer compras, explorar os bairros étnicos e comer muitas coisas diferentes! Aqui vai uma lista mais detalhada:

  • Na região mais turística e centro business da cidade

1. Petronas Twin Towers: as torres gêmeas Petronas são o marco da cidade, e não é à toa. São lindas e majestosas, e estão localizadas numa das áreas mais bonitas de Kuala Lumpur. Quando foram construídas, em 1997, eram as mais altas do mundo, mas não demorou muito para serem ultrapassadas. É possível subir no observatório e o ingresso custa por volta de 80RM (recomenda-se comprar com antecedência, pois o número de visitantes é limitado). Na base das Petronas está o shopping Suria, que também vale a pena a visita! Para chegar lá, descer na estação KLCC do LRT.

IMG_1573

2. KLCC Park: o parque que fica logo em frente às torres Petronas. É tranquilo durante a semana, mas fica lotado nos sábados e domingos à tarde.

IMG_4522

IMG_8866

3. KL Tower: possui um observatório 360° (onde há também um restaurante) e o ingresso custa 80RM. Para chegar lá, descer na estação Raja Chulan do monorail.

20160709_111131

4. Bukit Bintang: uma região com muitos restaurantes e shoppings, e que fica próxima às Torres Petronas. Suas atrações são: os shoppings Low Yat Plaza, Berjaya Times Square, Pavilion, Lot 10 e Fahrenheit 88, as ruas Jalan Alor e Changkat Bukit Bintang, com comidas de rua e bares, e a rua Jalan Bukit Bintang, com vários restaurantes de comida árabe e hotéis baratos. Para chegar lá, descer na estação Bukit Bintang do monorail.

20160813_191819

  • Na região mais próxima da KL Sentral

5. Petaling Street: a Chinatown de Kuala Lumpur. Lá você encontra feirinhas estilo “camelódromo”, muita comida de rua e, meu preferido, o Central Market, mercado de artesanatos de Kuala Lumpur. Ele é o paraíso dos souvenirs! Lá você encontra produtos chineses, malaios e indianos por preços muito bons. Recomendo muitíssimo! Para chegar, a estação mais próxima é a Maharajalela do monorail e a Pasar Seni do LRT.

IMG_9032

IMG_4563

IMG_4562

IMG_4552

IMG_4555

6. Merdeka Square: a Praça da Independência ganhou esse nome por ter sido hasteada ali, pela primeira vez, a bandeira da Malásia como país independente da Inglaterra, no ano de 1957.

20160709_113640

20160709_114223

IMG_4633

7. Little India: concentra-se basicamente em uma rua só (Jalan Tun Sambanthan) e é o lugar ideal para comer uma comida vegetariana deliciosa, daquela que não te faz sentir falta nenhuma de carne! Recomendo o restaurante Saravanaa Bhavan, mas há muitos outros, inclusive não vegetarianos. A Little India fica logo na saída do shopping Nu Sentral (conectado à KL Sentral), em direção ao monorail.

20160709_133659

20160709_133313

20160709_133927

  • Na região mais afastada do centro

8. Batu Caves: templo hindu conhecido por sua gigantesca estátua dourada do deus da guerra Lord Murugan. Essa estátua, com 42,7m de altura, é a maior da Malásia e a segunda maior estátua de uma divindade hindu do mundo (perde apenas para uma no Nepal)! Mas a estátua não é a atração principal, e sim as cavernas (daí o nome Batu Caves). Para subir até lá, é preciso encarar a escadaria com 272 degraus! É uma subida pra se fazer uma vez na vida, pois as cavernas em si não têm nenhuma atração, além de uns templos sem graça e vários macacos sem-vergonhas loucos para roubar qualquer coisa dos turistas. Então, tenha cuidado! Para chegar até as Batu Caves, deve-se pegar o KTM na KL Sentral e descer na última estação. A entrada é gratuita. Outro detalhe: para entrar nos templos dentro das cavernas, as mulheres precisam estar cobrindo ombros e joelhos.

IMG_4583

IMG_4618

IMG_4598

  • Shoppings

9. Pavilion: um shopping bonito, limpinho, organizado, com muitas opções boas de restaurantes, bares e lanchonetes. É o shopping mais ‘alto nível’ da região, com muitas lojas de marca, mas, ao mesmo tempo, não tem aquele ar de shopping de madame; muito pelo contrário, é frequentado por vários tipos de público. Meus restaurantes/lojas favoritas lá: Din Tai Fung (restaurante chinês, penúltimo andar), Teppanyaki (restaurante japonês, praça de alimentação), Tarbush Express (restaurante árabe, praça de alimentação), Chatime (lugar de chá, tem em tudo que é canto da cidade), Daiso (uma das minhas lojas favoritas no mundo haha, tem em vários shoppings; nesse, fica no sexto andar). Para chegar lá, descer na estação Bukit Bintang do monorail.

IMG_8855

10. Berjaya Times Square: um shopping mais barateiro, com lojas mais “genéricas”. Ele é gigantesco, com 14 andares!!! (Mas nem todos os andares estão ocupados.) É tão grande que tem até um parque de diversões lá dentro (com montanha-russa e tudo mais), o Berjaya Times Square Theme Park, que eu recomendo ir pelo menos uma vez! Além do parque, esse shopping é ótimo pra comprar roupas e calçados baratos. Para chegar lá, basta descer na estação Imbi do monorail.

IMG_8826

11. Midvalley Megamall: o melhor shopping de todos, na minha opinião. Também é gigantesco, mas diferente do Berjaya, o Midvalley tem lojas melhores, de mais qualidade, e supera o Pavilion por ser muito maior e ter mais variedade. O highlight dele é a loja de departamento/mercado Aeon Big. O mercado fica no subsolo e a loja de departamento nos andares superiores (em cada andar há um setor). Lá você pode comprar de tudo e por preços muito bons! Dos restaurantes nesse shopping, meus preferidos são: Yoshinoya (restaurante japonês, penúltimo andar) e Go Noodle House (restaurante chinês, subsolo). Para chegar lá, é preciso ir até KL Sentral e, de lá, pegar o KTM em direção a Seremban e descer na estação seguinte, que se chama Midvalley como o shopping.

Decoração de Natal no Midvalley Megamall
Decoração de Natal no Midvalley Megamall

12. Low Yat Plaza: o shopping de eletrônicos de Kuala Lumpur. Vende desde cararecos como ventiladores portáteis e mousepads até câmeras, celulares, computadores e videogames. Recomendo ir nas lojas maiores que ficam no penúltimo e último andares, para poder fazer compras mais livremente. Nos andares de baixo, os vendedores ficam desesperados oferecendo mil e uma coisas pra todo mundo. Nós inclusive preferimos ir de elevador até os andares de cima para não precisar passar na frente dos vendedores ao pegar a escada rolante. Esse shopping fica próximo do Berjaya Times Square, então, para chegar lá, as estações mais próximas do monorail são Imbi e Bukit Bintang.

IMG_8795

Screen Shot 2017-01-15 at 09.42.37

Na minha opinião, perto das Petronas Towers ou do shopping Pavilion são os melhores lugares (é onde nós moramos), devido à variedade de restaurantes, lojas, transporte público, e também por serem regiões seguras, com muitas pessoas circulando o tempo todo, mesmo nos sábados e domingos. As áreas mais baratas de hospedagem, no entanto, são perto da KL Sentral, no bairro Chow Kit (mas não recomendo ficar lá) e em Bukit Bintang.

Screen Shot 2017-01-15 at 09.40.22

Sugiro conferir meu post só sobre esse assunto; veja aqui.

Restaurante Pelita
Restaurante Pelita

Screen Shot 2017-01-15 at 09.42.06

Viajar na Malásia é bastante em conta, sendo possível gastar menos de US$50 por dia (casal) com hospedagem, alimentação e transporte. Para mais detalhes sobre custos na Malásia, confira aqui.

Por último, dois mapas com as atrações e shoppings que eu listei acima:

Screen Shot 2017-01-13 at 15.25.35

Screen Shot 2017-01-13 at 15.26.09

Espero que tenha gostado! Qualquer dúvida, deixe seu comentário!

Comments are closed.