Hong Kong: tudo o que você precisa saber

Hong Kong: tudo o que você precisa saber

Com uma área de 1104 km² e 7 milhões de habitantes, Hong Kong é uma das áreas mais densamente povoadas do mundo!

Bandeira nacional
Bandeira nacional

Hong Kong foi uma colônia britânica de 1898 a 1997, tendo pertencido também aos japoneses por 3 anos durante a Segunda Guerra Mundial. Em 1997, então, Hong Kong foi devolvida à China na condição de território administrativo especial (assim como Macau). Isso significa que, apesar de fazer parte da China, Hong Kong tem seu próprio governo e segue suas próprias leis. Na verdade, as únicas coisas que eles têm em comum são o povo e a comida, porque o resto é bastante diferente! Veja:

Screen Shot 2017-01-15 at 09.41.55

Enquanto a língua mais falada na China é o mandarim, em Hong Kong a população (que é 95% de etnia chinesa) fala o cantonês, um dialeto do chinês, mas que é totalmente diferente; o alfabeto utilizado, no entanto, é o mesmo. Além disso, em Hong Kong, o inglês também é idioma oficial, e, portanto, todas as placas, sinalizações etc. estão nas duas línguas, o que faz com que seja muito mais fácil se virar em Hong Kong do que na China.Screen Shot 2017-01-15 at 09.42.06

Na China utiliza-se o Renminbi, enquanto a moeda de Hong Kong é o dólar de Hong Kong; as duas moedas têm quase o mesmo valor (10 RMB = 11 HKD), mas o custo de vida na China é mais baixo. Dito isso, HK tem menos impostos para produtos importados, então é um bom lugar para comprar eletrônicos, roupas, joias etc. de marcas estrangeiras.

Fila pra comprar o iPhone 7 na loja da Apple
Fila pra comprar o iPhone 7 na loja da Apple

Visto: brasileiros precisam de visto para entrar na China, mas não em Hong Kong.

Internet: não há nenhuma restrição de internet em Hong Kong; já na China, Google, Facebook e YouTube (entre outros) são bloqueados pelo governo, sendo preciso utilizar VPNs para conseguir acessar esses sites.

20160917_084708659_ios
Vista para a ilha de Hong Kong e seus arranha-céus

Agora vamos falar só de Hong Kong:

Screen Shot 2017-01-15 at 09.39.04

Na costa sul da China, banhada pelo Mar da China Meridional.screen-shot-2016-12-16-at-10-24-31

Screen Shot 2017-01-15 at 09.42.17

Por ficar no Hemisfério Norte, os meses mais frios são dezembro, janeiro e fevereiro (temperatura entre 10 e 25°C), e os meses mais quentes são julho e agosto (temperatura entre 24 e 35°C). A estação mais chuvosa é a de verão e a mais seca é a de inverno. Nós estivemos lá na metade de setembro e estava super quente e ensolarado!

20160917_125513

Screen Shot 2017-01-15 at 10.14.19

Nós ficamos 6 noites e foi mais que suficiente. Não fomos em nenhum parque e passamos um dia em Macau. Diria, então, que 3-4 noites apenas em Hong Kong é um tempo bom, e 1 noite em Macau (mas isso é outro post).

Screen Shot 2017-01-15 at 09.39.26

Por terra só é possível chegar se você estiver na China, mas atenção: se você estiver na China e seu visto chinês for de apenas uma entrada, após entrar em Hong Kong, você não poderá entrar na China novamente, a não ser que você solicite um novo visto chinês em Hong Kong (o que não é difícil, mas esteja preparado pra desembolsar mais $$). Isso fez com que nós pulássemos Hong Kong do nosso roteiro quando estivemos na China em janeiro de 2015; fomos de Shangai direto para Nanning (bem ao sul, quase na fronteira com o Vietnã).

De barco, é possível chegar por Macau, mas a maneira mais fácil é sem dúvida de avião. Se você já estiver na região, sugiro ver passagens pela Air Asia, a companhia aérea low-cost da Ásia. Nós voamos de Kuala Lumpur a Hong Kong, e a passagem de ida e volta custou US$110.

Como sair do aeroporto: é possível pegar táxi, ônibus e metrô. O metrô é a opção mais rápida, mas custa HK$90 até Kowloon e HK$100 até a ilha de Hong Kong. Nós pegamos o ônibus A21, que custou HK$33 por pessoa, e nos deixou em Tsim Sha Tsui (o centrão da cidade). O ônibus, então, é a opção mais em conta, além de ser confortável e fácil de pegar (fica à direita saindo do aeroporto).

20160915_130338

Screen Shot 2017-01-15 at 09.39.55

Ônibus, táxi, barco (entre Kowloon e a ilha de Hong Kong) e a opção mais prática: metrô (MRT). O MRT tem várias linhas, que cobrem toda a cidade, inclusive o aeroporto e o parque da Disney. Veja o mapa a seguir. As estações mais centrais são: Tsim Sha Tsui, Kowloon e Hong Kong.

screen-shot-2016-12-16-at-15-07-53

Screen Shot 2017-01-15 at 09.42.37

Devido à falta de espaço em Hong Kong (por ter 7 milhões de moradores numa área de pouco mais de mil metros quadrados), os hotéis são caríssimos e os quartos, minúsculos! É realmente um desafio encontrar um lugar bom e barato pra ficar, e vou falar mais sobre isso em outro post.

Screen Shot 2017-01-15 at 10.14.31

Também vou deixar este tópico para outros posts, mas já vou adiantar que as principais atrações de Hong Kong se concentram em três áreas:

1. Ilha de Hong Kong: lá está o Victoria Peak, o famoso “mirante” de Hong Kong, além de centros comerciais e muitos arranha-céus;

20160919_124104211_ios

2. Kowloon: a região mais “autêntica” de Hong Kong, onde estão os prédios mais antigos;

20160917_095840690_ios

3. Ilha de Lantau: onde está o parque da Disney e o Grande Buda.

20160916_134404

Espero que tenha gostado e que este post tenha sido útil! Qualquer dúvida, deixe seu comentário!

Comments are closed.