Ásia: impressões gerais e curiosidades

Ásia: impressões gerais e curiosidades

Ainda não conheço a África (apenas o Marrocos) e o Oriente Médio (apenas a Turquia), então posso dizer que a Ásia me proporcionou o maior choque cultural até agora de todos os lugares em que já fui. Mas, pelo fato de ter visitado 10 países asiáticos (Mongólia, China, Hong Kong, Macau, Vietnã, Camboja, Tailândia, Malásia, Singapura e Japão) e de estar morando em um deles (Malásia) há 4 meses, muitas das coisas que me chocaram assim que entrei na Ásia já nem reparo mais.

Apesar de os países serem muito diferentes uns dos outros, posso dizer que na Ásia, em geral, o que chama mais a atenção é a quantidade de pessoas por todo lado e a consequente “muvuca” em qualquer lugar que você vá. Organização, faixa de pedestres e esperar a sua vez são coisas que não existem neste continente (com algumas exceções).

Repare na pessoa tentando atravessar a rua em Hanoi, Vietnã

Vindo da Europa principalmente, podemos achar que os asiáticos são rudes, mal-educados, ou que não têm respeito e consideração pelos outros, mas a verdade é que isso é apenas uma questão de costume e cultura. Como tem realmente MUITA gente em tudo que é canto, vale a lei do mais forte.

Quantidade básica de pessoas em Hong Kong.
Quantidade básica de pessoas em Hong Kong

Então, geralmente, as pessoas não esperam os passageiros desembarcarem do trem/metrô para começarem a embarcar; muitos furam fila na cara-dura; sinais de trânsito não valem pra muita coisa, faixa de pedestres então… esqueça!

Motos andando na calçada em Nanning, China.
Motos andando na calçada em Nanning, China

A noção de espaço também é bastante deficiente. Enquanto na Europa (não todos os países, é claro) ou nos Estados Unidos, quando alguém esbarra sem querer em você, a pessoa logo te pede desculpas, na Ásia os empurrões, pisões no pé, gente cortando a sua frente, gente encostando em você no metrô e gente te encarando e reparando em tudo o que você faz são coisas corriqueiras, e com o tempo você para de se importar (tanto) com isso.

Qual é o sentido da rua, afinal? - Hanoi, Vietnã.
Qual é o sentido da rua, afinal? – Hanoi, Vietnã

Na verdade, essa “muvuca”, pra mim pelo menos, faz parte do charme da Ásia e do seu povo. Não consigo imaginar o Vietnã sem aquelas mil e trocentas motos cruzando na sua frente; ou a China sem nenhum vuco-vuco sequer; ou a Tailândia e o Camboja sem aquela quantidade assustadora de tuk-tuks indo para todas as direções; ou caminhar por Hong Kong sem precisar desviar de ninguém… realmente, o simples fato de caminhar na Ásia já é um desafio por si só, mas é um desafio divertidíssimo e que vale muito a pena experienciar ao menos uma vez na vida.

Tuk-tuks em Siem Reap, Camboja.
Tuk-tuks em Siem Reap, Camboja

Agora, algumas curiosidades sobre os asiáticos:

Em qualquer lugar da Ásia (todos os países que visitamos até agora), as pessoas tiram os calçados antes de entrar em suas próprias casas, na casa dos outros, templos e qualquer outro lugar privado. Acho isso simplesmente maravilhoso, um exemplo para todas as outras culturas. No Brasil, quando tinha que chamar um técnico/eletricista/encanador ou algo do tipo para ir na minha casa arrumar alguma coisa, meu primeiro pensamento era “que droga, ele vai entrar com o sapato e sujar todo meu chão limpinho”. Já na Ásia isso não acontece. Assim que nos mudamos para Kuala Lumpur, chamamos um técnico para instalar internet no apartamento, e, pela força do hábito, pensei no chão que ele iria sujar ao entrar com sapato. Preocupação à toa, pois ele tirou os sapatos do lado de fora do apartamento e deixou-os no corredor. Aí sim!

Sapatos deixados do lado de fora - Kuala Lumpur, Malásia.
Sapatos deixados do lado de fora – Kuala Lumpur, Malásia

Se os asiáticos comem insetos ou não, eu não sei dizer porque não vi em absolutamente nenhum lugar. Vi para vender (na China e na Tailândia), mas nunca nenhuma pessoa local comendo. Minha teoria é que barraquinhas vendendo insetos em palitos como se fossem espetinhos são pura e simplesmente para chamar a atenção dos turistas estrangeiros e ganhar dinheiro em cima deles, pois até tirar foto dos “espetinhos” era cobrado. Então eu duvido muito que hoje em dia alguém realmente coma aranhas, escorpiões, bichos-da-seda etc., mas deixo fotos aqui como prova de que pelo menos existe à venda.

pasted-image-2

Espetinhos à venda em Beijing, China.
Espetinhos à venda em Beijing, China

Os asiáticos no geral são muito curiosos com relação aos estrangeiros e gostam de saber sobre nós, de onde somos, se estamos gostando do país deles, o que estamos fazendo ali, o que já tínhamos conhecido no país etc. etc. Na China nos sentíamos como celebridades. Como a maioria da população não fala inglês, ou tem um nível muito básico de inglês, quase ninguém se arriscava em conversar com a gente, mas em compensação não tinham vergonha nenhuma em tirar nossa foto, seja escondido, seja na nossa cara ou nos pedindo permissão. Eles nos abordavam fazendo gestos, tentavam falar “photo” e posavam do nosso lado para a foto. Às vezes os homens queriam tirar foto só com o Evandro e as mulheres comigo, mas geralmente era com nós dois ao mesmo tempo.

Isso também acontece bastante aqui na Malásia. Na última vez que estivemos aqui, durante a viagem de 7 meses no ano passado (2015), estávamos num parque quando um casal nos abordou pedindo para tirar foto com a gente. Era um casal, e a mulher posou com nós enquanto o marido ou namorado tirava a foto. O mais engraçado foi que, antes da foto, a mulher me perguntou séria, num inglês meio limitado: “Can I touch your boyfriend?”. Eu segurei a risada e respondi “Sure, go ahead”, enquanto o Evandro me olhava com uma cara de “Como assim??”. Pela pergunta, eu achei que ela iria no mínimo dar um abraço nele, mas não, ela me pediu permissão só pra por a mão na cintura dele enquanto tirava a foto. Depois, ela agradeceu pela foto e completou: “Sorry I touch your boyfriend”. Bem-educada, hahaha!

Casal me conferindo em Nanning, China.
Casal me conferindo em Nanning, China

Os banheiros públicos na Ásia (e também no Marrocos e na Turquia, dos lugares onde fomos) são no chão. Existem vários modelos diferentes, uns com descarga normal, outros com descarga “manual”, uns com lugar para apoiar os pés, outros sem, e por aí vai… Em cidades grandes e turísticas, em aeroportos e em shoppings, há as duas opções de banheiro, o assento sanitário como estamos acostumados e o no chão. E nos hotéis e hostels só tem o assento sanitário mesmo, para alívio dos ocidentais.

A descarga neste tipo de banheiro (comum na Tailândia) é o balde. Você deve encher a caneca (ou sei lá que nome dar pra isso) com a água do balde e jogar no vaso quantas vezes precisar.
A descarga neste tipo de banheiro (comum na Tailândia) é o balde. Você deve encher a caneca (ou sei lá que nome dar pra isso) com a água do balde e jogar no vaso quantas vezes precisar

A primeira vez que vi um destes banheiros no chão foi no Marrocos e fiquei chocada e morrendo de nojo para dizer a verdade. Rezei (apenas maneira de dizer) pra que nunca precisasse fazer o número 2 num banheiro desses, mas aconteceu. Foi inevitável, e lembro deste momento como se fosse hoje. Foi na China (escapei no Marrocos, na Turquia e na Mongólia), e não foi qualquer número 2, e sim uma dor de barriga horrorosa numa estação de trem em uma cidade minúscula, ou seja, quando a cólica apertou, eu sabia que as chances de encontrar um banheiro do tipo ocidental seriam mínimas. E, realmente, só tinha o modelo no chão. Ah, mais um detalhe! Os asiáticos não usam papel higiênico, e sim uma mangueira para se limpar. Resumindo, foi uma experiência traumatizante. E não foi a única! O bom é que depois de um tempo, você pega o jeito da coisa, e, pensando bem, faz muito mais sentido usar o banheiro no chão, afinal, se agachar para fazer as necessidades é o jeito natural… nós, ocidentais, que somos preguiçosos e não queremos trabalhar os músculos da perna…

Já neste tipo de banheiro (comum na Malásia), existe a descarga e a mangueira serve para você se limpar, já que o papel higiênico não é utilizado.
Já neste tipo de banheiro (comum na Malásia), existe a descarga e a mangueira serve para você se limpar, já que o papel higiênico não é utilizado.

É isso! Espero que tenha gostado das curiosidades sobre a Ásia! Se tiver alguma outra para acrescentar, deixe seu comentário!

Comments are closed.